6 de outubro de 2019

Plantemos laranjeiras!

Provado à saciedade está que — por mais que sejam os ‘arranjos’ ou ‘combinações’ arquitectadas — não é com este ‘conjunto’, que se logrará algo de relevante ou profícuo. Ora, como é cientificamente implausível o recurso a ‘conjunto’ de natureza diversa, então — ao ver as estranhas concepções, ideias e alucinações que brotam da mente humana —, arranja-se forma de crer na Providência ou, fatalmente tolhidos por este mundo que adora a sua própria vulgaridade e mistura luxo com lixo, se replique o gesto de Luís XVI — mandou plantar laranjeiras em Versalhes porque os excrementos da corte empestavam o ar. Sugiro que repliquemos o gesto de Luís XVI: plantemos laranjeiras!