quinta-feira, 13 de abril de 2017

É simples, o discurso da verdade.


Estima-se que, até 2050, a população mundial crescerá 33% – de 7 mil milhões para 9,3 mil milhões de pessoas –, e a procura por alimentos aumentará 60%. Além disso, estima-se que a população das áreas urbanas irá praticamente dobrar – de 3,6 mil milhões para 6,3 mil milhões;

O “Global Environmental Outlook’s Baseline Scenario” de 2012, projectou um aumento no risco de escassez de água até 2050, com uma perspectiva de 2,3 mil milhões de pessoas a viver em áreas com graves restrições hídricas, especialmente no Norte e Sul de África e na Ásia Central. Caso nenhuma acção seja empreendida o mundo enfrentará, em 2030, um déficit hídrico de 40%;

Estima-se que 663 milhões de pessoas não terão acesso directo a “fontes melhoradas” de água potável e 1,8 mil milhões de pessoas não terão acesso seguro a água com condições mínimas para o consumo humano. (…) mais de um terço da população mundial – cerca de 2,4 mil milhões de pessoas – não utiliza instalações sanitárias de qualidade, e mil milhões de pessoas defecam a céu aberto;

Mundialmente, a agricultura é responsável por cerca de 70% do total do consumo de água doce e, na maioria dos países subdesenvolvidos, esse índice chega a 90%. Sem melhoras na eficiência hídrica, estima-se que o consumo mundial da agricultura aumentará 20% até 2050.


Não quero saber de túmulos; a natureza sepulta os abandonados
~ Mecenas ~